Dólar fraco eleva o preço milionário do turismo espacial

Novos candidatos a viagens à Estação Espacial terão de pagar bem mais que seus predecessores

Associated Press,

18 Julho 2007 | 20h03

O preço de fazer turismo no espaço está em elevação. De US$ 25 milhões (R$ 46 milhões) atualmente, um passeio até a Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo de uma nave russa Soyuz deverá passar a custar, no mínimo, US$ 30 milhões (R$ 56 milhões) nas viagens planejadas para 2008 e 2009."Isso se deve, principalmente, à queda do dólar", diz  Eric Anderson, presidente da Space Adventures, a empresa que agencia os passeios oferecidos pela agência espacial russa.    O dólar americano está cotado a cerca de 25,5 rublos russos, ante 32 rublos em 2002.Cinco turistas espaciais - o americano Dennis Tito; o sul-africano Mark Shuttleworth; o também americano  Gregory Olsen; a iraniana naturalizada americana Anousheh Ansari; e o húngaro naturalizado americano Charles Simonyi - visitaram a ISS graças ao "táxi" das naves Soyuz, contratados por meio da Space Adventures.   A empresa anunciou, nesta quarta-feira, 18, que mais duas vagas na Soyuz foram vendidas para os próximos anos. Até agora, a viagem Amis cara foi a de Simonyi, que pagou US$ 25 milhões. Os demais turistas pagaram US$ 20 milhões.   Anderson disse que os turistas prejudicados pelo câmbio serão, provavelmente, um asiático e um americano. Candidatos ao passeio têm de fazer um depósito de 20% da passagem, submeter-se a exames físicos e a treinamento numa central espacial russa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.