Dólar segue movimento externo e sobe 0,19% ante real

O dólar fechou nesta terça-feira no nível mais alto ante o real desde o fim de janeiro numa sessão marcada por alta volatilidade, após dados econômicos fracos levantarem dúvidas sobre a força da recuperação global, pressionando o humor nas praças financeiras mundiais.

BRUNO FEDEROWSKI, Reuters

23 de abril de 2013 | 18h06

Durante a tarde, a moeda norte-americana chegou a ultrapassar brevemente o patamar de 2,03 reais --considerado por parte do mercado como o teto da banda informal do Banco Central para a divisa--, depois de um tuíte falso sobre duas explosões na Casa Branca desencadear uma corrida por ativos de menor risco.

O dólar avançou 0,19 por cento, cotado a 2,0238 reais na venda, maior fechamento desde 25 de janeiro, quando fechou cotada a 2,0320 reais na venda.

"O mercado está muito suscetível a notícias ruins, e lá fora não tem ajudado", disse o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

Uma série de pesquisas divulgadas nesta terça-feira sugeriram que grandes economias ao redor do mundo perderam força em abril. O setor privado alemão, por exemplo, registrou sua primeira contração em cinco meses em abril.

Com isso, a divisa norte-americana abriu em alta frente ao real, espelhando os mercados internacionais. No entanto, por volta das 11h, o dólar descolou-se do cenário externo e passou a cair frente ao real, uma vez que exportadores aproveitaram a depreciação da moeda brasileira para antecipar contratos de entrada de divisas. Na mínima da sessão, o dólar chegou a registrar queda de 0,32 por cento, cotado a 2,0135 reais na venda.

Mas os temores sobre a perspectiva econômica mundial logo voltaram a pesar, e a moeda norte-americana passou a anular gradualmente as perdas, até que, por volta das 14h, o ânimo dos investidores sofreu novo golpe: hackers invadiram a conta de Twitter da Associated Press e enviaram um falso tuíte sobre duas explosões na Casa Branca.

"Houve um boato sobre a Casa Branca, o dólar estilingou e ficou, já que o mercado está bem sensível", disse o superintendente de câmbio da Advanced Corretora, Reginaldo Siaca.

A notícia gerou turbulência nos mercados globais. Dados da Thomson Reuters mostram que o índice S&P 500 caiu 14 pontos, ou 0,93 ponto percentual, no espaço de 3 minutos quando o tuíte atingiu o mercado. No Brasil, o dólar ultrapassou e atingiu a máxima da sessão, a 2,0305 reais na venda.

O BC atuou no mercado de câmbio pela última vez em 27 de março, realizando leilão de swap tradicional --equivalente a venda de dólares no mercado futuro-- quando o dólar operava em torno de 2,03 reais.

(Edição de Tiago Pariz)

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.