Dólar sobe 0,90% ante real após decisão do Copom

O dólar encerrou esta quinta-feira em alta de quase 1 por cento frente ao real, com a expectativa de menor entrada de recursos externos após o Banco Central sinalizar que o ciclo de aperto monetário poderá ser menor do que os investidores haviam precificado.

BRUNO FEDEROWSKI E NATÁLIA CACIOLI, Reuters

18 de abril de 2013 | 20h20

A moeda norte-americana subiu 0,90 por cento, cotada a 2,0170 reais na venda. Na máxima do dia, o dólar chegou a registrar alta de 1,23 por cento, a 2,0235 reais na venda.

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 2,4 bilhões de dólares.

"Acabou tendo uma certa frustração com a possibilidade de aumento maior na Selic", disse o economista-chefe do Espírito Santo Investment Bank, Jankiel Santos. "Com menor diferencial da taxa de juros vis-à-vis lá fora, acaba diminuindo o apetite de compra aqui".

O BC elevou na noite de quarta-feira a taxa básica de juros para 7,50 por cento ao ano, afirmando que é preciso manter a "cautela" na administração da política monetária. Isso indicou que o ciclo de aperto deverá ser curto e moderado, segundo o mercado.

Antes da decisão, a curva de juros futuros precificava aumento de 0,50 ponto percentual na Selic --um movimento que, se concretizado, aumentaria ainda mais o diferencial de juros do país, atraindo mais investidores estrangeiros em busca de alta rentabilidade em um momento de liquidez abundante no exterior.

A alta verificada nesta quinta-feira levou o dólar a encerrar acima do patamar de 2 reais pela primeira vez em duas semanas. Parte do mercado acredita que o BC impôs uma banda informal entre 1,95 real e cerca de 2 reais para o dólar com o objetivo de conter pressões inflacionárias sem, ao mesmo tempo, prejudicar a indústria.

"Agora vamos verificar o que o BC vai fazer", disse o diretor de câmbio da Pioneer Corretora, João Medeiros, para quem a autoridade monetária atuará no mercado apenas quando a divisa norte-americana alcançar o patamar de 2,05 reais.

Analistas destacavam ainda que o mercado de câmbio brasileiro tem sofrido com escassez de dólares, e que a decisão do BC na véspera também reduz expectativas de que o câmbio poderia ser usado para combater a alta dos preços.

Dados do BC divulgados na véspera mostraram que o fluxo cambial --balanço da entrada e saída de moeda estrangeira do país-- registrou déficit de 2,941 bilhões de dólares na semana passada. No ano, o fluxo está negativo em 5,102 bilhões de dólares.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.