'Dona Mathilde' enfrenta o teste da extração múltipla

O café colhido lá nas alturas da fazenda Recreio Estate Coffee, em São Sebastião da Grama, SP, a 1.300 metros acima do nível do mar, dá origem a uma bebida bastante premiada. É o café Dona Mathilde, que já mereceu honrarias nacionais e regionais e foi apontado aqui mesmo no Paladar, em 2008, como o melhor por uma equipe de jurados que usaram a extração francesa para preparar a bebida. Na ocasião, ele foi descrito como "doce, amendoado, baunilha, aconchegante e aveludado".

O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2012 | 02h10

O De Grão em Grão testou novamente o blend da fazenda centenária, composto das variedades bourbon amarelo, catuaí, mundo novo, icatu amarelo e vermelho. Só que desta vez a prova foi feita a partir de diferentes métodos de extração: prensa francesa, cafeteira italiana, globinho (ou sifão), coador Hario V60, aeropress e Chemex. O teste completo está em blogs.estadao.com.br/de-grao-em-grao.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.