Dose única de antibiótico não é suficiente para impedir cegueira

Um estudo realizado em oito vilas etíopes, que durou dois anos, descobriu que uma única dose de antibiótico não é suficiente para impedir infecções que causam doenças como tracoma, a principal causa de cegueira do mundo e que pode ser prevenida.Uma pesquisa anterior, em uma vila na Tanzânia, sugeriu que uma única distribuição em massa do mesmo antibiótico poderia ser o suficiente para diminuir as taxas de infecção para praticamente zero.Contudo, o novo estudo demonstrou que as infecções retornavam lentamente depois de dois anos."Na verdade, eu penso que são boas notícias. Quando a infecção volta, ela volta muito lentamente", disse um dos autores do estudo, Dr.Tom Lietman, da Universidade de Califórnia.As descobertas sugerem que a aplicação de tratamentos antibióticos com azithromycina a cada dois anos pode eliminar infecções por alguns anos, explica Lietman.Os resultados das pesquisas serão publicados na edição de quarta-feira do jornal da Associação Médica Americana.Tracoma é causada por uma cadeia de bactérias chamada chlamydia trachomatis, que se espalha pelos olhos através de contato manual, roupas ou, acreditam alguns pesquisadores, moscas.Crianças têm as mais altas taxas de infecção. A cegueira se desenvolve por décadas após infecções repetidas e por cicatrizes na parte interior das pálpebras.A doença não é uma doença transmitida sexualmente, apesar das bactérias que a causam serem parentes das que causam a clamídia.No novo estudo, a taxa média de infecção em crianças era de 43% antes do tratamento. Dois meses depois, a taxa era de apenas 5%, mas subiu para 11% depois de dois anos.A Iniciativa Tracoma Internacional forneceu os antibióticos doados pela empresa farmacêutica Pfizer.Cerca de 84 milhões de pessoas têm tracoma, em sua maioria pessoas das regiões pobres da África, Ásia, Oriente Médio, América Latina e Austrália. Cerca de 8 milhões estão cegas por causa da doença, segundo dados da Organização Mundial da Saúde.Um médico da OMS, Dr. Silvio Mariotti, afirma que nem mesmo múltiplos tratamentos com antibióticos eliminarão a cegueira causada pela doença, a não ser que o tratamento seja acompanhado de cirurgia dos estágios mais avançados, higiene adequada, qualidade da água e saneamento básico.

Agencia Estado,

07 de março de 2006 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.