Dossiê pediu saída do bairro

Um grupo de professores do câmpus Guarulhos da Unifesp elaboraram um dossiê pedindo à reitoria que a unidade saia da cidade. O documento, de 18 páginas, diz que a unidade é isolada geográfica e culturalmente, além de não acrescentar nada à região onde está, no carente Bairro dos Pimentas. Além de dificultar o acesso à maioria dos funcionários e alunos, colaborando para os altos índices de abandono, a localização prejudicaria as pretensões de excelência do câmpus.

O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2012 | 03h08

O desconforto com a localização do câmpus já havia surgido entre docentes, mas foi a primeira oficialização da proposta à reitoria, como o Estado informou no início do mês. O documento sugere a ida para o centro de São Paulo, onde a Unifesp prepara uma faculdade de Direito.

O dossiê dividiu alunos e professores, favoráveis e contrários à permanência no bairro. O Conselho de Assuntos Estudantis da Unifesp rejeitou a proposta, mas a Congregação do câmpus decidiu que o assunto será debatido mês que vem.

O reitor Walter Albertoni descartou a saída total da Unifesp de Guarulhos, mas deixou aberto para que a unidade decida sobre a possível saída de alguns cursos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.