Dourados, no MS, obriga carroceiros a se cadastrarem

A Prefeitura de Dourados, em Mato Grosso do Sul, está promovendo um novo cadastramento para carroceiros da cidade. O objetivo é garantir aos profissionais que atuam no perímetro urbano alguns benefícios e também orientação, por meio de cursos gratuitos, sobre, por exemplo, trânsito, meio ambiente e cuidados com os animais.

MARCELA BOURROUL GONSALVES, Agência Estado

31 de agosto de 2011 | 16h04

A partir de outubro ficará proibido criar cavalos e vacas na área urbana de Dourados, e apenas os carroceiros cadastrados poderão manter os animais no perímetro urbano. Segundo a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, responsável pelo cadastro, cerca de 50 condutores de carroça já se cadastraram. A prefeitura estima que existam aproximadamente duas mil carroças na cidade, a maioria utilizada no transporte de entulhos e galhos.

Uma das propostas do prefeito Murilo Zauith é que, após o processo de cadastramento, sejam colocados chips nos animais cadastrados, para controlar doenças e detectar sua localização. O sistema já é usado para rastreamento de bovinos de raça. De acordo com Zauith, a prefeitura quer criar mecanismos para que a atividade de carroceiro seja devidamente regularizada como profissão e possa garantir renda maior às famílias que dependem desse trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.