Dragões da Real encerra o desfile em 60 minutos cravados

Após um desfile tranquilo, a Dragões da Real encerrou sua apresentação aos 60 minutos aos gritos de "é campeã". Emocionado, o presidente da escola, Renato Rodrigues, elogiou a agremiação e disse acreditar que, neste ano, o título inédito pode finalmente acontecer. "Nosso conjunto foi perfeito. Comissão de frente estava incrível, as alegorias, absurdas. Todo mundo cantando o samba. Foi lindo."

PAULA FELIX E FABIANA CAMBRICOLI, Estadão Conteúdo

14 Fevereiro 2015 | 04h17

A escola usou elementos da cultura pop e mostrou uma referência ao filme "A Fantástica Fábrica de Chocolate" na comissão de frente. O carro abre-alas trazia uma luxuosa biblioteca com o símbolo da escola: um dragão. Representando figuras marinhas, o terceiro carro alegórico da Dragões da Real espalhou bolhas de sabão pelo Anhembi.

Fundada em 17 de março de 2000, o Grêmio Recreativo Cultural Dragões da Real, a ''caçula'' das agremiações do Grupo Especial de São Paulo, foi a quarta escola a desfilar no primeiro dia do carnaval paulistano, no Anhembi. Com o samba-enredo "Acredite Se Puder", a escola aposta na crença de que tudo é possível.

A Dragões teve neste ano o carnavalesco Flávio Campelo, conhecido por trabalhar com temas abstratos. O enredo da escola contou a história de um dragão que ganha vida e convida um garoto para participar de uma viagem lúdica, que passa por uma floresta encantada, onde ele descobre que tudo é possível.

Mais conteúdo sobre:
carnaval Dragões da Fiel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.