Driudas preparam festa do solstício em Stonehenge

Esta quinta-feira, 21, será o dia mais longo do ano ao norte do equador

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h12

Milhares de druidas contemporâneos, neopagãos e pessoas que simplesmente gostam de uma festa convergem para o monumento pré-histórico de Stonehenge, na Inglaterra, para a comemoração do solstício de verão no hemisfério Norte. Esta quinta-feira, 21, será o dia mais longo do ano ao norte do equador, e o mais curto no hemisfério Sul. Espera-se que cerca de 20.000 pessoas estejam em Stonehenge quando o Sol nascer sobre a Inglaterra, às 4h58 (hora local). O propósito exato do círculo de pedras, construído entre 3.000 e 1.600 a.C., ainda é um mistério, mas muitos acreditam que o monumento tenha sido erguido seguindo um alinhamento astronômico, como parte de uma cultura de adoradores do Sol.Festas para celebrar o solstício eram um ponto alto do calendário de diversas culturas pré-cristãs. Muitas dessas celebrações sobreviveram à cristianização da Europa, convertidas em festas folclóricas ou de santos, mas em anos recentes a cultura "New Age" transformou o monumento inglês em um ímã para pessoas que buscam uma experiência espiritual, reatar os laços com as raízes pagãs - ou, apenas, participar de uma festa.Mas as celebrações também têm sua cota de problemas - em 1984, a polícia fechou o local, depois de brigas entre os celebrantes. O acesso pleno a Stonehenge só foi reaberto em 2000.

Tudo o que sabemos sobre:
paganismosolstíciostonehenge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.