Droga contra parto prematuro pode ter efeito oposto

Pesquisadores da ONG britânica Tommy afirmam que a metronizadole, um antibiótico receitado para mulheres grávidas que correm risco de dar à luz bebês precoces, pode ter o efeito contrário e antecipar o nascimento. A conclusão veio de um estudo realizado com 900 mulheres e divulgado na revista International Journal of Obstetrics and Gynaecology.De acordo com os autores, a metronizadole duplica o risco de que o parto ocorra antes do tempo normal. Porém o remédio reduz o risco de que o bebê sofra infecções.Alto risco As mulheres que participaram da pesquisa - todas entre a 23ª e a 24ª semana de gestação - foram divididas em dois grupos: em um, as pacientes receberam a metronizadole por uma semana, e no outro, comprimidos de placebo.A conclusão foi que, não só o remédio não ajuda a prevenir o parto precoce, como pode causá-lo. Apenas 39% das mulheres que tomaram placebos deram à luz antes da hora, enquanto no outro grupo a percentagem foi de 62%.O remédio é normalmente receitado para combater casos de vaginose bacteriana, condição que pode causar partos precoces.

Agencia Estado,

13 de janeiro de 2006 | 14h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.