Droga da Bayer não atinge meta em estudo contra câncer de pulmão

A Bayer e a Onyx Pharmaceuticals não conseguiram demonstrar em um estudo clínico que o remédio Nexavar pode prolongar a vida de pacientes com tumores de pulmão, o maior grupo alvo no mercado de tratamento de câncer.

REUTERS

22 Maio 2012 | 10h55

A pílula Nexavar não melhorou o tempo de sobrevivência quando usado para combater câncer de pulmão de células não pequenas que havia piorado após o tratamento anterior, o objetivo principal da fase III de estudos, segundo afirmaram as duas empresas em comunicado nesta terça-feira.

No entanto, o remédio estendeu o tempo que a doença leva para se agravar, disseram as companhias.

O Nexavar já foi aprovado para o tratamento de câncer de fígado e de rim, com potencial de vendas visto em 750 milhões de euros (958 milhões dólares) por ano, e está em fases finais de testes de câncer de tireóide e de mama.

Em 2011, as vendas da droga, que é permitida em mais de 100 países, subiram 2,8 por cento para 725 milhões de euros.

(Por Maria Sheahan)

Mais conteúdo sobre:
BAYERCANCER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.