Duas vítimas de tiroteio no Rio continuam internadas

Dentre os hospitalizados está o pedreiro acusado de pegar arma de um policial militar; Polícia Civil já ouviu oito PMs envolvidos no episódio

AE, Agência Estado

03 de janeiro de 2014 | 20h56

Duas das 12 vítimas do tiroteio ocorrido durante a comemoração do réveillon em Copacabana, na zona sul do Rio, continuam internadas. Entre elas está o pedreiro Adilson Rufino da Silva, de 34 anos, que começou a confusão.

Segundo a Polícia Civil, a investigação sobre o caso está em andamento e oito PMs envolvidos na ação já prestaram depoimento. A polícia aguarda a recuperação das vítimas para que elas sejam ouvidas. As armas apreendidas com os oito policiais envolvidos foram encaminhadas à perícia.

O pedreiro Silva, acusado de pegar a arma do coldre de um policial militar e atirar, permanece internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o estado clínico dele é "estável", sem previsão de alta.

Um policial militar, cujo nome não foi divulgado, continua internado sem previsão de alta no Hospital Central da Polícia Militar, também em estado "estável".

Mais conteúdo sobre:
ano-novoRiotiroteio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.