Dublê é morto a tiros em favela da zona norte do Rio

Homem é abordado por três bandidos com fuzis; após troca de socos, leva tiros na barriga e na cabeça

Pedro Dantas, do Estadão,

04 de outubro de 2007 | 18h30

O dublê Claudio Luciano da Silva, de 33 anos, foi morto a tiros nesta quinta-feira, 4, por três bandidos na favela Morro do São João, no Engenho Novo, na zona norte do Rio. Ele foi pagar a pensão à ex-mulher que mora no morro, quando foi abordado por três homens armados com fuzis. Claudio Luciano alegou ser trabalhador, mas os três insistiam em levá-lo. Houve discussão, o dublê trocou socos com um dos criminosos e foi atingido por seis tiros nas pernas, barriga e cabeça. Um dos suspeitos, conhecido como "Baby", teria 12 anos, segundo os moradores.Silva morava numa vila onde foi criado e viveu até os 20 anos o atual comandante da Polícia Militar do Rio, o coronel Ubiratan Ângelo, que era amigo do pai do dublê e considerava Silva como um sobrinho, segundo os moradores. Perto do portão da vila onde morava o coronel, as paredes exibem marcas de tiros, entre elas a fachada da Escola Municipal Mário Augusto Teixeira de Freitas, situada aos pés do morro. Por meio da Assessoria de Imprensa da Polícia Militar, o comandante lamentou o fato e confirmou que era amigo do pai de Silva. O coronel informou que o encontrou pela última vez no enterro do pai do dublê, morto por um derrame há três anos. Silva deixou dois filhos, um de nove e outro de dois anos. Ele estava trabalhando como dublê na novela "Caminhos do Coração", da TV Record. O caso está sendo investigado pela 25.ª Delegacia de Polícia do Engenho Novo.

Tudo o que sabemos sobre:
DublêassassinatoMorro do São João

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.