Dupla é baleada ao extorquir família 3 vezes em 1 dia

Dois criminosos foram baleados ontem - um deles acabou morto - após serem flagrados pela polícia extorquindo uma família pela terceira vez no mesmo dia, em Cotia, na Grande São Paulo. A dupla telefonou para o celular de uma garota de 13 anos e simulou um falso sequestro de sua mãe. Com o golpe, eles conseguiram receber dois montantes, quase R$ 6.500, pelo suposto resgate da mãe. Na terceira investida, foram abordados pela polícia.

RICARDO VALOTA, Agência Estado

28 Abril 2011 | 08h52

Bruno Franco de Oliveira, de 23 anos, e Leandro Juniel Rodrigues, 30, simularam um sequestro e ameaçavam, por telefone, matar a mãe da garota. O golpe não passava de um blefe. Na verdade, a mãe estava na escola onde trabalha como professora, e a família não conseguiu contato com ela no momento do golpe dos bandidos.

Sem contato com a esposa, o pai autorizou a filha a entregar, por duas vezes, o dinheiro exigido pelos criminosos. A entrega era feita por baixo de um portão de ferro inteiriço, nos fundos do condomínio onde moravam. Assim, a garota não conseguia identificar a dupla.

Antes de entregar o dinheiro pela terceira vez, a família avisou a Guarda Municipal de Cotia e a Polícia Militar, que esperaram pela chegada dos criminosos. Bruno e Leandro resistirem à voz de prisão e foram baleados. Bruno, que já tem passagens pela polícia, foi internado no Hospital Regional de Cotia. Já Leandro morreu quando era atendido no pronto-socorro São Jorge. Com a dupla, os policiais apreenderam um revólver calibre 38. Caso sobreviva, Bruno responderá por extorsão e resistência. O caso foi registrado no Distrito Policial Central de Cotia.

Dos quase R$ 6,5 extorquidos das vítimas, a polícia conseguiu recuperar apenas R$ 1,9 mil, valor levado na segunda extorsão e que ainda estava dentro do carro. A polícia acredita que os criminosos, que não são conhecidos das vítimas, através de terceiros, receberam informações sobre a rotina da família, sabiam da existência do dinheiro guardado no apartamento e que ligaram para o telefone celular da garota para que ela acreditasse que a mãe estava em poder deles.

Suspeitos mortos

Em outra ocorrência na Grande São Paulo, dois suspeitos de roubo de carro foram mortos, no fim da tarde de ontem, durante uma troca de tiros com policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), na Avenida Engenheiro Heitor Antonio Eiras Garcia, na zona oeste da capital paulista.

Ezequias Virgínio da Silva, de 28 anos, e um outro homem não identificado estavam em um Space Fox roubado quando foram perseguidos pela polícia. Em seguida, eles teriam se recusado a entregar as armas no momento em que foram cercados pelos PMs, e começou um tiroteio. Baleada, a dupla morreu quando era atendida no pronto-socorro Bandeirantes, localizado no quilômetro 13 da rodovia Raposo Tavares, no Jardim Periperi.

O caso configura suposta resistência seguida de morte e foi registrado no 51º Distrito Policial, do Butantã. Ele será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.