É hora de torcer pelos rivais

Reta final da disputa provoca situações inusitadas

, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2009 | 00h00

São Paulo e Palmeiras podem ser ajudados pelo Corinthians na reta final do Brasileiro. O Cruzeiro tem a chance de ser beneficiado pelo Atlético-MG e o Inter conta com o Grêmio. Nessa hora, claro, vale até torcer pelo arquirrival. Mas há quem não consiga, há quem desconfie que o inimigo possa entregar o jogo.

Se o São Paulo, por exemplo, empatar com o Goiás, em Goiânia, só manterá a liderança caso o Flamengo não vença o Corinthians, já desinteressado e sem motivação na disputa. Os corintianos poderiam fazer corpo-mole para prejudicar o arquirrival? "Espero que o Corinthians aja com elegância", afirmou João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol tricolor, lembrando que o time alvinegro foi ajudado pelos são-paulinos em 2003, quando venceram o Juventus no Paulista e salvaram os corintianos do rebaixamento na última rodada.

O Corinthians também pode beneficiar o Palmeiras, pois enfrenta o Atlético-MG, concorrente direto na luta pela Libertadores. Mas vale a pena? Mano Menezes trata de tranquilizar os colegas de São Paulo e promete um time empenhado, mesmo que a Fiel prefira a derrota. "Não vamos jogar pelos concorrentes, mas por nossos torcedores", garantiu o técnico corintiano. "Mas, se algum time precisa da ajuda do Corinthians, é sinal de que não cumpriu suas obrigações."

O Atlético-MG, do artilheiro Diego Tardelli, precisa vencer o Palmeiras, domingo, no Palestra Itália, para seguir com chances de ir à Libertadores e, se conseguir, ajudará ao mesmo tempo o Cruzeiro. "Sabemos como será o nosso final de ano se o Cruzeiro entrar na Libertadores e nós não", comentou Tardelli. "Vamos lutar até o fim por essa vaga."

Na briga pelo título, o São Paulo só depende dele, mas tem a ameaça de Fla, Inter e Palmeiras. Atlético e Cruzeiro têm chance irrisória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.