É paêlha, não paeja!

Com a cara e as cores da Espanha, a paella não tem uma receita. Tem milhares. Cada região, cada cidade, cada casa tem a sua - e isso inclui Ferran Adrià, que fez do prato um salgadinho. A mais adorada por aqui é tão recheada de frutos do mar que fica difícil saber que, sim, o astro principal está ali: o arroz. Camarão Use o miúdo e o rosa. Eles cozinham rápido e têm sabor acentuado, por isso devem ir à panela só no fim. Cozinhe com as cascas para intensificar o sabor do arroz Marisco Os mariscos são abundantes em Valência, por isso são bastante utilizados no prato. Servem para fazer o caldo, que é fundamental na paella Tomate Seu sabor não se destaca, mas contribui para a harmonia do prato, além de engrossar o caldo Lagosta A lagosta é a rainha da paella marinera. Ocupa muito espaço na panela e tem gosto marcante, mas quanto mais, melhor Arroz Nem tente usar o agulha, o tipo mais comum por aqui: ele amolece demais com o calor do lento cozimento. Prefira o parabolizado, mais firme Açafrão É o que dá à paella sua típica coloração alaranjada e o perfume inconfundível do prato Polvo Use apenas um pouco - dois ou três tentáculos são suficientes, cortados em rodelas Frango É o primeiro que vai para a panela. Qualquer parte do frango pode ser usada, mas as mais comuns são coxa e sobrecoxa Lula É usada com fartura na paella, especialmente na versão abrasileirada do prato Ervilha Assim como o pimentão vermelho, não vai para a panela - tem função decorativa. Prefira as ervilhas grandes e frescas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.