Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

É Satay, mas diga 'Satêi'

Com cozinha comandada por Kim Lee Lam e inauguração marcada para quarta-feira, o Satay inspira-se nos chineses modernos de Londres e Nova York, navega pelo tradicional e o contemporâneo e dá espaço a outros ramos orientais

Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2013 | 02h24

Inspirado em restaurantes chineses de ambiente moderno que andam fazendo bastante sucesso como o Hakkasan, em Londres, e o Mr Chow, em Nova York, o Satay (fala-se Satêi) tem inauguração marcada para quarta-feira, dia 30. Está instalado nos Jardins, entre o Brasserie des Arts (dos mesmos donos) e o Piselli.

A cozinha será comandada por Kim Lee Lam (que nos tempos de Mr. Lam, no Rio, ganhou o apelido de Alân Lam). Ele vai dividir os trabalhos com dois chefs estrangeiros, que vieram de Cingapura e trabalharam também na Tailândia.

O cardápio tem uma vertente moderna e a outra dedicada aos pratos emblemáticos da culinária chinesa. Para fazer o clássico pato laqueado, os sócios (Luigi Cardoso Alves, Felipe Klein e Roberto Coelho da Fonseca) importaram um forno de aço inox redondo da China e montaram uma sala climatizada só para deixar as aves penduradas. Os patos vêm da Vila Germânia, no Sul.

Na seção moderna do cardápio, a cozinha chinesa abre espaço para influências de outros sabores orientais, especialmente da Tailândia e Cingapura. Entre os pratos modernos um dos destaques é o camarão empanado com wasabi e molho de manga.

Nada será servido empratado - das entradas à sobremesa. As porções chegarão à mesa em tigelas e potinhos, no mais puro estilo chinês, tudo para compartilhar. Boa parte dos nomes de prato tem sotaque inglês, em vez de chinês: "fried rice", "duck rice", "chicken satay"...

Há uma carta de drinques de inspiração oriental, criados por Marcelo Serrano, que inclui coquetéis de chá verde. A carta de vinhos foca nos brancos, rosés e espumantes.

A decoração impressiona, com uma parede coberta por um enorme pano preto com figuras de chineses estampadas, luminárias pendentes, sofás vermelhos e um balcão laqueado de cor azul-turquesa. São 95 lugares ao todo, incluindo mesas num terraço logo na entrada.

Nos dias de semana, o Satay vai funcionar apenas para o jantar. Aos sábados e domingos, abre também para o almoço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.