Ecclestone perde poder na Fórmula 1 após acusação de suborno

O presidente-executivo da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, vai continuar a comandar os negócios da categoria automobilística, apesar de um julgamento por acusação de suborno, mas agora estará sujeito a um controle maior do conselho da empresa, disse a F1 em comunicado nesta quinta-feira.

Reuters

16 de janeiro de 2014 | 12h20

Ecclestone, que nega qualquer irregularidade, pode deixar o cargo na Fórmula 1 dependendo da conclusão do julgamento marcado para abril na Alemanha, mas vai administrar o dia a dia do negócio.

"A aprovação e assinatura de contratos importantes e outros acordos comerciais agora serão de responsabilidade do presidente do conselho, Peter Brabeck-Letmathe, e do vice-presidente do conselho, Donald Mackenzie", informou a F1 em comunicado.

(Por Keith Weir)

Mais conteúdo sobre:
F1ECCLESTONEPODERESREDUZIDOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.