ECT decide encerrar negociações com grevistas

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) deu hoje um ultimato aos grevistas: ou voltam ao trabalho ou não haverá mais negociações e o caso será tratado na Justiça. A decisão foi tomada hoje, segundo a assessoria de imprensa da ECT, depois que a reunião com representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Fentect) sobre a greve que já dura cinco dias terminou em impasse. Até o começo da noite a Fentect não havia divulgado uma posição nacional sobre os rumos do movimento, mas em São Paulo a decisão foi pela manutenção da greve. A empresa alegou que cedeu em diversos pontos e espera a decisão dos trabalhadores pelo encerramento do movimento até as 12 horas de amanhã. De acordo com a assessoria dos Correios, os diretores aceitaram algumas reivindicações da categoria, como o auxílio-creche, o incremento do Correio Saúde - o plano de saúde dos funcionários -, um avanço no Plano de Cargos, Carreira e Salários e na Participação nos Lucros e Resultados. Caso os trabalhadores decidam pelo fim da greve até amanhã, a empresa se compromete a pagar pelos dias não trabalhados. Caso contrário, a ECT ameaça entrar na Justiça contra os grevistas e não pagar pelos dias de paralisação.Segundo representantes da categoria, mesmo que os dirigentes da federação aceitem o retorno ao trabalho, a decisão sobre a manutenção ou não da greve terá de ser tomada em assembléias regionais, que só ocorrerão amanhã. Em São Paulo, os trabalhadores decidiram hoje pela manutenção da greve, em assembléia encerrada antes do fim da reunião de negociação da Fentect com a diretoria da empresa em Brasília. A Federação promete divulgar ainda hoje uma posição das suas lideranças.

MÁRIO SÉRGIO LIMA, Agencia Estado

17 de setembro de 2007 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.