Efeito Dubai perde força e dólar cai

Moeda norte-americana cedeu 0,40% ontem, mas subiu 0,58% na semana; Ibovespa ganhou 1,14% em 5 dias

Silvana Rocha, Claudia Violante e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2009 | 00h00

A diluição dos temores sobre o efeito de uma eventual moratória em Dubai fez o dólar cair ontem ante o real. A percepção de que os bancos dos Emirados Árabes devem ser os mais atingidos pelo risco de um default em Dubai e a afirmação do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, de que as instituições financeiras brasileiras não estão expostas ao conglomerado estatal Dubai World trouxeram alívio aos investidores. Além disso, no mercado doméstico, houve fluxo cambial positivo de cerca de US$ 700 milhões, que ajudou a sustentar a baixa das cotações - ainda que o BC tenha absorvido esses ingressos por meio do leilão de compra - e a amparar um forte aumento do volume de negócios. O dólar balcão caiu 0,40%, para R$ 1,743, mas apurou ganho de 0,58% na semana. O giro no câmbio aumentou 146%, para US$ 4,541 bilhões. Na Bovespa, dissipado o temor, o dia foi uma oportunidade para compra de ações. O Ibovespa subiu 1,04%, aos 67.082,15 pontos; na semana, acumulou alta de 1,14% e, no mês, de 9%. No ano, o índice paulista já saltou 78,65%. No mercado de juros, as taxas de curto e médio prazos ficaram de lado, enquanto as longas foram pressionadas. A taxa de janeiro de 2011 subiu a 10,29%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.