Egito eleva nível de alerta na península do Sinai

O Ministério do Interior do Egito mandou a polícia na península do Sinai aumentar o estado de alerta depois de obter informações de inteligência de que jihadistas podem promover ataques na região, informou a agência estatal de notícias Mena.

Reuters

09 de março de 2013 | 09h50

Autoridades têm expressado crescentes preocupações sobre segurança na região desértica que faz fronteira com Israel e abriga uma série de resorts turísticos.

"O Ministério do Interior aumentou o nível de emergência no Sinai do Norte e do Sul depois de receber informações de que grupos jihadistas pretendem atacar edifícios da polícia na região", disse o general Osama Ismail, segundo a Mena.

Em agosto do ano passado, militantes islâmicos armados mataram pelo menos 15 policiais egípcios em um ataque contra um posto policial na fronteira entre o Egito e Israel, antes de tomarem dois veículos militares na tentativa de cruzar a fronteira.

O incidente foi o mais mortal na tensa península em décadas. Israel tem acusado militantes palestinos na Faixa de Gaza de envolvimento em atividade militante no Sinai, onde a insegurança tem crescido desde que Hosni Mubarak foi derrubado do poder na revolução egípcia de 2011.

O atual presidente, Mohamed Musri, tem prometido aumentar segurança no Egito, mas tem enfrentado dificuldades em controlar o aparato policial do país. Na semana passada, milhares de policiais e recrutas promoveram uma greve.

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOSINAIEMERGENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.