Egito prende oito homens por vídeo de casamento gay

Oito homens egípcios foram condenados a três anos na prisão neste sábado por acusações de disseminarem imagens indecentes e incitarem devassidão após aparecerem em um vídeo online supostamente mostrando a primeira cerimônia de casamento gay do país.

REUTERS

01 Novembro 2014 | 10h32

O juiz decidiu que eles também estarão sujeitos à supervisão policial após a conclusão de sua sentença.

A sentença foi recebida com indignação pelas famílias dos réus, que se manifestaram no exterior do tribunal no centro de Cairo e foram dispersos pela polícia. Os réus, que haviam negado a acusação, permaneceram mudos na corte enquanto o veredito era lido, um deles segurando uma cópia do Corão.

Casamento gay não é legal no Egito, uma sociedade muçulmana conservadora onde o vídeo, que viralizou em redes sociais em agosto, causou rebuliço online.

(Reportagem de Lin Noueihed)

Mais conteúdo sobre:
EGITOCASAMENTOGAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.