Ele tem espaço para criar como poucos. E abusa de referências para criar um universo que ganha novas fronteiras com 'Django Livre', seu 1º western

Quentin Tarantino brada sua alforria criativa sacando do baú a homenagem que faltava: ao western. Prodígio na Hollywood dos anos 90, hoje ele filma o que, quando e como quer. A estreia do polêmico Django Livre, sobre um escravo em busca da mulher nos EUA pré Guerra Civil, traz de volta os vícios e virtudes de uma das carreiras mais consistentes do cinema - amarrada por um amontoado de referências. Recuperamos as melhores e mais obscuras, em ordem cronológica. Só assim para não perder de vista os elementos que contribuíram para construir a mítica em torno da figura do cineasta. Contamos até quantas vezes uma certa palavra é dita a cada filme. As que você disse do lado de cá da tela não valem... Ramon Vitral

O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2013 | 02h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.