'Eles não reduziram nossa liderança' diz marqueteiro de Obama

David Axelrod afirma que senador ainda tem mais delegados que Hillary.

Bruno Garcez, BBC

05 de março de 2008 | 09h10

O marqueteiro da campanha de Barack Obama, David Axelrod, minimizou as conquistas de Hillary Clinton nas primárias desta terça-feira, entre elas as do Texas e do Ohio, dois dos mais importantes Estados na corrida eleitoral americana. ''A matemática é clara e a disputa é toda sobre delegados. E hoje à noite (terça-feira) eles não conseguiram reduzir nossa liderança. Temos uma liderança de mais ou menos 160 delegados'', afirmou.A ênfase no número superior de delegados também foi um dos tópicos sobre os quais Barack Obama discursou nesta terça, em San Antonio. Indagado pela BBC Brasil se a campanha de Obama irá mudar de tom e se tornar mais agressiva após as derrotas, Axelrod afirmou:''Sempre fomos agressivos, mas não partiremos para agressões gratuitas. Começamos atrás e não teríamos chegado até aqui se não tivéssemos sido agressivos.''Pia de cozinhaAxelrod afirmou que a campanha do senador não partirá para a tática de jogar até a ''pia da cozinha'' no adversário, em referência à frase cunhada pelo marqueteiro de Hillary, Mark Penn, sobre a linha adotada pela senadora nas últimas semanas. Mas afirmou que se a campanha da adversária decidir enfatizar ''questões imobiliárias e temas éticos'', eles terão trunfos para contra-atacar.O comentário foi uma referência aos temores de que Hillary explore o indiciamento de um antigo associado de Obama, o empresário Tony Rezko, de Chicago, acusado de fraude e malversação de fundos. Axelrod afirmou que a campanha do senador responderá a possíveis ataques nos seus próprios termos.Ele disse que à senadora esclarecer, por exemplo, porque se recusa a apresentar sua declaração de imposto de renda e porque documentos recentemente tornados públicos e ligados ao seu período como primeira-dama ainda não foram liberados.O marqueteiro também respondeu à BBC Brasil se ele não temia que o fato de Hillary ter vencido Obama em dois Estados cruciais poderia servir como um símbolo de que Hillary é mais forte nos grandes Estados.''É assim que eles vão tentar manipular a coisa. Mas nós também vencemos em grandes Estados, como Virgínia e Geórgia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.