Eletroacupuntura ajuda a tratar de depressão, diz estudo

Aumentar o efeito das agulhas de acupuntura com pequenas correntes elétricas pode ajudar a tratar depressão, mostra um estudo feito em Hong Kong.

HONG KONG, O Estado de S.Paulo

31 Março 2012 | 03h07

Liderados por Zhang Zhang-jin, da Universidade de Hong Kong, nos últimos sete anos a equipe de pesquisadores usou a eletroacupuntura para estimular sete pontos na cabeça de 73 participantes que sofriam de depressão.

A eletroacupuntura foi aplicada associada à medicação que os pacientes estavam tomando. Metade dos pacientes recebeu a eletroacupuntura nove vezes em três semanas, enquanto os demais - que formavam o grupo placebo - apenas tiveram as agulhas inseridas superficialmente na cabeça.

Eles foram avaliados por especialistas para mensurar os níveis de depressão e o grupo que recebeu acupuntura relatou uma melhora.

"A queda nos índices de depressão no grupo que recebeu o tratamento correto foi mais significativa que no grupo placebo", diz Roger Ng, pesquisador do grupo e consultor do departamento de psiquiatria do Hospital de Kowloon, que publicou os achados no periódico PLoS ONE. "Quando os pontos são estimulados, alguns centros no cérebro responsáveis por produzir serotonina são estimulados."

Acredita-se que um desequilíbrio nos níveis de serotonina estão associados à depressão. A doença afeta 20% das pessoas em algum momento da vida.

A Organização Mundial da Saúde acredita que, por volta de 2020, a depressão vai rivalizar com as doenças cardiovasculares como o transtorno mais prevalente no mundo. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.