Em 2009, capital contou 27 estupros em escolas

JORNAL DA TARDE

Leandro Calixto, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2010 | 00h00

Creches e escolas de ensino fundamental da rede pública da capital paulista registraram pelo menos 27 casos de estupros em 2009. Na maioria deles, segundo o Infocrim (base de dados da polícia), os agressores eram funcionários, colegas e até professores. A faixa etária das vítimas vai de 2 a 17 anos. O crime em geral ocorre no banheiro ou nas salas de aula. "Depois que a imprensa passou a dar mais destaque para casos de pedofilia, os parentes das vítimas passaram a procurar a polícia para fazer a denúncia", explica o delegado do 100º DP, Ulisses Augusto Pascoalati.

A Secretaria de Estado da Educação disse em nota que no caso de envolvimento de funcionários, é aberto um processo administrativo interno e que o profissional pode ser exonerado. A Secretaria Municipal de Educação, informou desconhecer o estudo do Infocrim e por isso não iria se manifestar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.