Em Aparecida, jovens são tema de reflexão

O dia ainda não havia amanhecido e milhares de pessoas já se dirigiam ao Morro do Cruzeiro, em Aparecida, a 160 km de São Paulo, para a primeira celebração religiosa da Sexta-Feira Santa, na terra da Padroeira do Brasil. Às 5h20 teve início a tradicional Via-Sacra, que neste ano atraiu cerca de 5 mil fiéis. Mas, dez minutos depois, faltou energia e a cerimônia teve de ser suspensa por meia hora.

JOÃO CARLOS DE FARIA, ESPECIAL PARA O ESTADO, APARECIDA, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2013 | 02h06

Em cada uma das 14 estações, além das orações e rituais de costume, também foram feitas reflexões tendo como tema a juventude, em alusão às comemorações do Ano Mundial da Juventude.

Na segunda estação, que lembra Jesus Cristo carregando a cruz às costas, o comentário fez alusão às "cruzes" que os jovens carregam nos dias de hoje, como as drogas, a prostituição e a pornografia. Na quinta estação, a reflexão foi sobre a falta de oportunidades para o trabalho e para os estudos, enfrentada por boa parte dos jovens.

Painéis. Durante mais de uma hora, a multidão acompanhou atentamente as orações, conduzidas pelo padre José Manoel Belo de Oliveira, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, percorrendo os 680 metros até chegar ao Alto do Cruzeiro, onde fica a capela que recorda a Ressurreição de Cristo, passando por diversos painéis do artista plástico Adélio Sarro Sobrinho.

Os painéis narram todas as cenas da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo, retratadas por meio de uma técnica nova, que imita o bronze, dando a impressão, de longe, de os painéis terem sido moldados em ferro.

Às 8h, a Via-Sacra foi repetida, porém com um número bem menor de fiéis.

As celebrações da Sexta-Feira Santa continuaram durante o dia, tendo como principal momento a liturgia da Celebração da Paixão, às 15h, no altar central do Santuário Nacional. Às 17h, os romeiros acompanharam a tradicional Procissão do Enterro.

As comemorações da Semana Santa têm o auge amanhã, às 8h, com a Missa de Páscoa, que será celebrada pelo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Raymundo Damasceno. São esperados 70 mil romeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.