Em cadeia nacional, Chávez xinga Uribe de cínico e mentiroso

Presidente congelou relações com vizinhos por ter sido afastado de mediação.

BBC Brasil, BBC

25 de novembro de 2007 | 21h05

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou em cadeia nacional neste domingo que as relações com a Colômbia estão "em um congelador" e rotulou o presidente colombiano de "mentiroso" e "cínico".Em um duro discurso contra o presidente Álvaro Uribe, Chávez admitiu ter se sentido desrespeitado pela decisão do governo colombiano de afastá-lo por meio de uma nota na semana passada das negociações pela libertação de reféns do grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (as Farc)."Perdi toda a confiança em qualquer um do governo da Colômbia. Não acredito em ninguém, absolutamente ninguém. O que o presidente colombiano fez foi dar uma cusparada brutal no nosso rosto. Indigna", discursou.Há meses, Chávez vinha atuando como mediador e, segundo o presidente venezuelano, elas estavam bem encaminhadas."Já tínhamos encontrado uma forma para chegar ao acordo humanitário. Estou muito seguro de que conseguiria lográ-lo, e meio mundo nos apoiava, organizações internacionais, governos da América Latina, da França, a União Européia, China", disse Chávez.Ao afastar Chávez, Uribe afirmou que o líder venezuelano passou do limite ao comentar com um general colombiano sobre os reféns. Chávez, por sua vez, atribuiu o seu afastamento à pressão americana e da elite colombiana sobre o presidente Uribe.Com a decisão de congelar relações com os vizinhos colombianos, Chávez deve criar graves problemas para os dois países, que são importantes parceiros comerciais. A decisão de encerrar o processo de mediação foi tomada apenas dois dias depois de o governo colombiano ter anunciado que daria prazo até 31 de dezembro para que os esforços de Chávez tivessem resultados.Desde agosto, Chávez vinha atuando como mediador entre o governo da Colômbia e as Farc para libertar 45 reféns em troca da liberdade de cerca de 500 guerrilheiros que estão presos.Entre os reféns das Farc está a senadora franco-colombiana Ingrid Betancourt. Na terça-feira, em visita à França, Chávez disse que as Farc haviam prometido enviar até o final do ano uma prova de que a refém estava viva.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.