Steven Senne/AP
Steven Senne/AP

Em campanha, Facebook pede que usuário diga se é doador

Ideia é ajudar pacientes na fila de transplante a encontrarem um órgão com rapidez

O Estado de S.Paulo

02 Maio 2012 | 03h04

O presidente da rede social Facebook, Mark Zuckerberg, divulgou na terça, 1º, uma mensagem para encorajar os mais de 900 milhões de usuários do site a declarar se são doadores de órgãos. O objetivo é ajudar pacientes na fila de transplante a encontrar um doador.

Em seu blog, o executivo disse que se inspirou em outros usos da rede em tempo de crise. "Em 2011, em Missouri, usuários do Facebook localizaram e devolveram pertences de famílias atingidas pelo tornado Joplin."

"Achamos que as pessoas realmente podem ajudar a espalhar a ideia da doação de órgãos", afirmou Zuckerberg na manhã de ontem ao programa de televisão Good Morning America.

Mais de 90 mil pessoas esperam por um rim - o órgão mais requisitado - nos Estados Unidos. No ano passado, foram feitos apenas 28,5 mil transplantes no país, sendo a maioria de órgãos doados de pessoas que haviam morrido. Essa disparidade faz com que a espera dure até três ou quatro anos.

Pesquisas mostram que mais de 90% dos americanos apoiam a doação de órgão, mas apenas cerca de 30% dos motoristas indicam em suas habilitações que aceitam ser doadores.

Resultado rápido. Cansado de esperar por um rim, Michael Shelling, de 50 anos que trabalha na indústria de jogos eletrônicos, decidiu montar uma página no Facebook na qual anunciava que necessitava do órgão. E forneceu o seu tipo sanguíneo.

Após apenas três meses, um potencial doador já está sendo testado para definir se é compatível com Shelling, que passa por hemodiálise desde 2007.

"A lista de espera indica que há mais pessoas precisando de órgãos que aquelas que poderiam ou gostariam de doar", disse o paciente. "Talvez isso aconteça porque elas não conhecem ninguém que esteja necessitando de um órgão."

De acordo com Joel Newman, porta-voz de uma rede de doação de órgãos, em muitos casos as pessoas simplesmente nem pensam na possibilidade de doar um órgão. Ele disse esperar que o apelo de Zuckerberg ajude nesse sentido. "Doar órgãos é geralmente algo que muitas pessoas encaram como maravilhoso, mas muitos ainda não fizeram essa decisão." / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.