Em Campinas, policiais civis retornam ao trabalho

Supremo Tribunal Federal publica decisão na qual afirma que direito a greve não se aplica a policiais civis

Tatiana Favaro, Agencia Estado

13 Novembro 2008 | 19h50

Os policiais civis da região de Campinas, no interior paulista, voltaram ao trabalho nesta sexta, 14, antes mesmo da publicação da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de que o direito à greve não se aplica aos policiais civis do Estado de São Paulo, ser publicada no Diário Oficial da Justiça. Segundo informou o investigador e presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Campinas e Região, Aparecido Lima de Carvalho, a decisão de voltar ao trabalho antes da oficialização da ordem do STF tem como principal motivo o respeito à população. "Recebemos essa orientação e cumprimos em respeito a quem precisa do nosso trabalho." A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo não possuía os dados sobre o número de atendimentos na região (em período normal e durante a greve), mas solicitou o levantamento. "Com o decorrer da greve, as pessoas também deixaram de vir à delegacia pois compreenderam nossa luta. Atendemos os casos graves e os menos graves orientávamos para o registro do Boletim de Ocorrência pela internet", afirmou o presidente do sindicato, que representa 57 cidades.

Mais conteúdo sobre:
greve Polícia Civil São Paulo Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.