Em Cunha, namorada de assassino de jovens é indiciada

A Polícia Civil de Cunha, no interior de São Paulo, indiciou Maria José Silva por participação na morte de duas irmãs de 15 e 16 anos no dia 23 de março. Ela mantinha um relacionamento com Ananias dos Santos, que confessou o duplo homicídio.

REGINALDO PUPO, Agência Estado

30 Abril 2011 | 12h41

A namorada do suspeito prestou depoimento na Delegacia Seccional de Guaratinguetá esta semana e passou da condição de testemunha para suspeita, pois a polícia teve acesso a ligações telefônicas que teriam sido efetuadas por ela para Ananias, uma hora antes dele executar a tiros as duas irmãs. Logo após o crime, houve novas ligações.

"Não sabemos ainda se ela foi apenas comunicada sobre as mortes ou se o ciúme que ela sentia por ele pode ter motivado o duplo homicídio", disse o delegado de Cunha, Marcelo Cavalcanti. Segundo o policial, Maria José não participou diretamente do crime, mas ele não tem dúvida de sua participação ao auxiliar Ananias na execução.

Ananias é condenado por outros crimes e irá cumprir 14 anos de prisão, que podem aumentar se ele for condenado pela morte das irmãs, disse o delegado. "Ele também foi preso em flagrante por porte ilegal de arma, além de ter cometido o crime quando era foragido". O inquérito deverá ser encaminhado ao Ministério Público nos próximos dias. Ananias está preso na cadeia de Guaratinguetá em uma cela separada, por ter sido ameaçado por outros presos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.