Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em greve há um mês, funcionários da saúde ocupam Alesp

Um grupo de trabalhadores estaduais da área da Saúde passou a noite dessa terça-feira, 4, na sede da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), em Moema, zona sul da capital. Cerca de 40 grevistas ocuparam a galeria do plenário, segundo a Alesp. Às 10h desta quarta, 5, a categoria iniciou uma nova assembleia em frente à Casa. Os trabalhadores - em greve há mais de um mês - reivindicam reposição salarial de 32,2% e aumento no vale refeição para R$ 26,22.

GABRIELA VIEIRA, Agência Estado

05 de junho de 2013 | 10h09

Na terça, representantes do Sindicato dos Trabalhadores Públicos de Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde-SP) foram recebidos pela Comissão de Saúde da Alesp. A vice-presidente da entidade, Cleunice Oliveira, afirmou durante o encontro que 70% dos profissionais estão em greve e os outros 30% atendem apenas emergências. Segundo a categoria, até o momento, ninguém foi convidado a discutir com o governo a pauta de reivindicações - que inclui ainda igualdade no prêmio de incentivo e maior transparência no uso de verbas do Fundo Estadual de Saúde.

Ainda de acordo com o sindicato, 28 unidades de saúde estariam sendo afetadas pela greve na capital e na Grande São Paulo. Já a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual da Saúde informou que a paralisação atinge apenas quatro das 203 unidades em todo o Estado e que a pasta mantém um diálogo com o SindSaúde-SP.

A Secretaria determinou corte no ponto dos funcionários em greve, o que pode gerar uma punição de até 50% nos salários. Em nota, disse que "considera inaceitável que os profissionais impeçam pacientes de realizar seus exames e consultas".

Tudo o que sabemos sobre:
saúdegreveAssembleia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.