Em março, 15 foram presos

Em março, a Polícia Federal prendeu, na Operação Arcano, 15 acusados de participação em uma quadrilha que também fraudava vestibulares de Medicina. Os clientes do bando chegavam a pagar R$ 60 mil por uma vaga. O grupo atuou em pelo menos 13 vestibulares nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Piauí e Goiás.

O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2012 | 02h01

Durante a ação da PF, foram apreendidos computadores, documentos, agendas, equipamentos eletrônicos e até dois revólveres. As prisões foram feitas em São Paulo (nas regiões de Jaú e de Ituverava), Bahia, Tocantins, Pará, Goiás e Rio Grande do Sul.

Em janeiro, o Paraná também havia sido alvo de fraude semelhante. Na ocasião, 11 candidatos que fizeram o vestibular para o curso de Medicina do Centro Universitário de Maringá (Cesumar) foram acusados de fraude. Todos eles foram liberados pela polícia local, após pagarem uma fiança de R$ 2 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.