Em meio a protestos, premiê da Ucrânia apresenta pedido de renúncia

Mykola Azarov disse que está deixando o cargo devido aos riscos à economia causados pelos dois meses de protestos nas ruas

O Estado de S. Paulo,

28 de janeiro de 2014 | 07h40

 

KIEV - O primeiro-ministro ucraniano, Mykola Azarov, apresentou seu pedido de renúncia nesta terça-feira, 28, e disse que está deixando o cargo devido aos riscos à economia causados pelos dois meses de protestos nas ruas, informou a assessoria de imprensa do premiê.

De acordo com a Constituição, a renuncia do primeiro-ministro significa a dissolução do governo todo.  Azarov disse que pediu pessoalmente ao presidente Viktor Yanukovich que aceite o pedido de renúncia em prol de um acordo para encerrar pacificamente o conflito interno no país.

"A situação de conflito que surgiu no país está ameaçando o desenvolvimento econômico e social da Ucrânia, criando uma ameaça a toda a sociedade ucraniana e a cada cidadão", disse Azarov.

"Com o objetivo de criar meios extras para encontrar um acordo sociopolítico, em prol de um fim pacífico para o conflito, tomei a decisão pessoal de pedir ao presidente que aceite a minha renúncia", acrescentou.

Azarov, de 66 anos, foi nomeado por Yanukovich após a eleição presidencial de 2010 e, desde então, conduziu a endividada economia do país em momentos difíceis, mantendo a moeda nacional firmemente atrelada ao dólar e rejeitando a pressão do Fundo Monetário Internacional para elevar o preço do gás no país.

Um fiel colaborador de Yanukovich, o premiê apoiou em novembro a decisão de abandonar um acordo de livre comércio com a União Europeia para aproximar-se ainda mais da Rússia. A medida levou milhares de manifestantes às ruas contra o presidente.  / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Ucrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.