Em mensagem, Obama comemora escolha do primeiro papa das Américas

Presidente dos EUA disse que quer trabalhar com o papa Francisco no 'avanço da paz'

Denise Chrispim Marin, correspondente,

13 de março de 2013 | 19h42

WASHINGTON - O presidente e a primeira dama dos Estados Unidos, Barack e Michelle Obama, declararam há pouco que a escolha do primeiro papa das Américas reflete a "força e a vitalidade de uma região que está cada vez mais moldando o nosso mundo". Por meio de comunicado divulgado pela Casa Branca, Obama afirmou que espera trabalhar com o novo papa "no avanço da paz, da segurança e da dignidade para todos os nossos companheiros seres humanos, sem nos importar com a fé deles".

"Nós nos juntamos às pessoas de todo o mundo na oferta de nossas preces ao Santo Padre enquanto ele começa o sagrado trabalho de liderar a Igreja Católica no nosso mundo moderno", afirmou.

A declaração de Obama e Michele trouxe uma carinhosa acolhida ao papa Francisco e o reconhecimento do trabalho desenvolvimento pelos EUA com o papa Bento XVI."Como um campeão dos pobres e mais vulbneráveis entre nós, ele carrega adiante a mensagem de amor e de compaixão que tem inspirado o mundo por mais de dois mil anos - a de que encontramos Deus na face de cada um de nós".

Católicos no poder

Os dois católicos nos postos mais altos do governo dos Estados Unidos expressaram nesta quarta-feira satisfação com a escolha do cardeal Jorge Bertoglio como novo pontífice. O vice-presidente americano, Joe Biden, afirmou estar feliz por ter a oportunidade de cumprimentar pessoalmente o papa Francisco depois de sua missa inaugural, na Basílica de São Pedro, em Roma. Biden lembrou ter a Igreja desempenho um "papel essencial em sua vida" e na de mais de um bilhão de pessoas no mundo.

"Eu espero pelo nosso trabalho conjunto nos próximos anos em muito temas importantes", afirmou o vice-presidente, em comunicado divulgado pela Casa Branca.

Informado pela imprensa depois de um encontro entre congressitas e o presidente Barack Obama, o católico e republicano John Boehner, presidente da Câmara dos Deputados, imediatamente respondeu: "Parabéns". "Estou feliz por terem chegado a uma escolha tão rapidamente. Penso que ir além do tradicional continente da nossa Igreja é outro grande passo correto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.