Em MG, chuva causa uma morte e fecha aeroportos

Corpo de Bombeiros do Estado registrou 42 ocorrências de inundações e riscos de deslizamentos

AE, Agência Estado

16 Dezembro 2008 | 07h40

A chuva ininterrupta que atingiu Belo Horizonte (MG) e região metropolitana, da noite de domingo até a tarde desta segunda, 15, provocou morte e prejuízos. Em Contagem, no Bairro Tropical, o desabamento de um muro de arrimo matou um trabalhador. Na capital mineira, Edmar de Sena Ferreira, de 27 anos, foi arrastado pela correnteza quando nadava em um córrego no bairro São Bernardo. Até o fim da tarde de segunda, equipes do Corpo de Bombeiros procuravam o desaparecido. Veja também: Josélia Pegorim comenta a previsão do tempo  A previsão do tempo para a sua cidade    Durante todo o dia, o Corpo de Bombeiros do Estado de Minas atendeu 42 ocorrências de inundações, risco de deslizamentos e desabamentos. Além de Belo Horizonte, as cidades de Ribeirão das Neves e Santa Luzia também sofreram com os efeitos da chuva prolongada. A chuva intermitente também fechou, por oito horas, o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. Pelo menos oito vôos foram cancelados e 39 estavam atrasados até a tarde de ontem. No Aeroporto da Pampulha, região norte da capital, a chuva também causou atrasos e cancelamentos. Durante toda manhã, o aeroporto operou por meio de instrumentos.

Mais conteúdo sobre:
chuva Minas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.