Em missa, papa ignora presença de Dilma e Cristina

A presidente Dilma Rousseff e sua colega argentina Cristina Kirchner foram ignoradas pelo papa Francisco, na manhã deste domingo, durante a Missa do Envio, ponto alto da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em Copacabana. Na homilia e nos comentários finais da cerimônia, o papa fez referências apenas a representantes da Igreja Católica que organizaram o evento.

LEONENCIO NOSSA, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 18h01

Dilma e Cristina assistiram à missa na primeira fileira de cadeiras reservadas a chefes de Estado. Também estavam presentes na cerimônia os presidentes da Bolívia, Evo Morales, e do Suriname, Dési Bouterse, além do vice-presidente do Uruguai, Danilo Astori, que aceitaram convite do Itamaraty.

Dilma e Cristina só não passaram despercebidas pela multidão que lotou a praia porque, num rápido momento antes de o papa subir ao altar, os telões as mostraram com chapéus e óculos escuros, aparentemente numa situação de desconforto diante do sol. A presidente argentina, com seu tradicional vestido preto de luto, chegou a oferecer a Dilma um espaço embaixo de uma sombrinha escura.

Após a cerimônia, Dilma, Cristina e outros chefes de Estado presentes na missa foram levados para uma sala VIP construída embaixo do altar. Quinze minutos depois, o papa apareceu. Francisco permaneceu apenas sete minutos na sala. Foi o tempo em que agradeceu a Dilma pela realização do evento e cumprimentou os demais presidentes e oito ministros da comitiva brasileira.

No rápido encontro com Francisco, Dilma se limitou a comentar que a missa tinha sido "muito bonita". Depois que o papa deixou a sala a presidente ainda foi cumprimentada por Cristina, Evo, Bouterse e Astori. De Copacabana, Dilma pegou um helicóptero da Força Aérea Brasileira para o Aeroporto Santos Dumont, de onde embarcou para Brasília no início da tarde. "A presidente Dilma foi apenas uma fiel", comentou um assessor do Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.