Em nota, Anac diz que não recebeu laudo do acidente da TAM

Comunicado oficial foi divulgado após contestação do superintendente de Infra-Estrutura Aeroportuária da Anac

Carolina Ruhman, Agência Estado

14 Novembro 2008 | 18h03

Em nota oficial, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou nesta sexta-feira, 14, que não teve acesso ao laudo do Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo que apontou falhas da agência no episódio que vitimou 199 pessoas em julho de 2007, no acidente com o Airbus A320 da TAM, no Aeroporto de Congonhas. "Por isso, a Anac não tem condições de comentar o referido laudo", declarou a agência, que disse ter sido informada sobre o laudo "apenas através do noticiário da imprensa".   Veja também: Familiares recebem bem fim de inquérito da tragédia da TAM Perícia aponta falhas de TAM, piloto, pista e Anac em acidente Laudo do IC destaca 'stress' da tripulação do vôo 3054 Inquérito sobre o vôo 3054 aponta 10 responsáveis  No pouso, piloto errou posição de manetes do Airbus O que mudou - e o que não mudou - desde o acidente da TAM TV Estadão: Os registros das câmeras de segurança na hora do pouso Os nomes e as histórias das vítimas do acidente da TAM Famílias de vítimas da TAM entregam projeto de memorial Tudo o que já foi publicado sobre a tragédia do vôo 3054   O comunicado oficial da Anac foi divulgado após o superintendente de Infra-Estrutura Aeroportuária da agência, Anderson Ribeiro Correia, ter contestado em São Paulo o laudo e defendido o órgão. Correia afirmou que a agência possui seus critérios e regras para a segurança nos aeroportos e elas foram cumpridas pelo Aeroporto de Congonhas antes do acidente da TAM. "As regulamentações da agência foram seguidas por Congonhas antes do acidente. Os critérios da pista foram atendidos", fez questão de frisar.   Na nota enviada hoje, a Anac diz: "Quaisquer manifestações públicas de servidores da Anac sobre o caso representam apenas opinião pessoal e não expressam a posição da agência." A agência acrescentou que o acidente em Congonhas continua sendo investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Aeronáutica, autoridade do Sistema de Aviação Civil brasileiro responsável pela investigação de acidentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.