Em São Paulo, 64% dos pacientes de Alzheimer são mulheres

Idade média das pacientes em busca de atendimento é de 76 anos; homens têm média de 75 anos

Solange Spigliatti, estadao.com.br

31 de março de 2009 | 11h16

Um levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo com mais de 56 mil pessoas com sintomas causados pelo Mal de Alzheimer, em 2008, revela que a maioria que procurou tratamento contra a doença era mulher. Segundo a pesquisa, das 56.827 pessoas que procuraram tratamento nos serviços conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) para evitar ou retardar os sintomas da doença, 64,1% eram mulheres.

 

De acordo com o levantamento, a idade média das pacientes em busca de atendimento é de 76 anos, sendo que 24% delas são das classes A e B, ou seja, com renda acima de 20 salários mínimos.

Entre os homens que procuram atendimento contra a doença, a idade média é de 75 anos. São 20.403 pacientes predominantemente das classes C (8.173) e D (7.338), mas os mais ricos, das classes A e B, já representam 22% do total de atendimentos.

 

O Mal de Alzheimer é caracterizado pela perda de memória e por dificuldades em fazer coisas consideradas simples. Por ser uma doença progressiva, a tendência é que o paciente perca cada vez mais a memória recente, lembrando-se de fatos do passado, mas tendo dificuldades de se recordar dos momentos presentes.

Para colaborar com as pessoas que convivem com pacientes que sofrem de Alzheimer, o Complexo Hospitalar Padre Bento, em Guarulhos, e o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte realizam encontros mensais e semanais com cuidadores de Mal de Alzheimer, para dar dicas de como tratar os pacientes em casa.

Mais conteúdo sobre:
saúdeAlzheimerpesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.