Em SP, 3 policiais são presos acusados de extorsão

Agentes teriam cobrado R$ 100 mil para não prender suposto integrante da facção PCC

Agencia Estado

16 de outubro de 2007 | 19h22

Os policiais civis de Campinas Rogério Moreno de Souza, Antônio Carlos Freire e Volmir Donizete Santolin foram detidos na sexta-feira, 12, por suposto crime de extorsão. Segundo o promotor Gaspar Pereira da Silva Junior, do Grupo de Atuação e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco), os suspeitos trabalhavam na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e teriam cobrado R$ 100 mil para não prender o suposto traficante Wilson Balbino da Cruz, o Japonês. Ele é apontado como integrante do PCC e era procurado por crimes de roubo a mão armada e latrocínio.De acordo com Silva Junior, em conversas interceptadas por escutas telefônicas, Japonês teria pedido ajuda ao suposto traficante Humberto Pereira, o Beto Gordão, no dia 22 de agosto. Segundo informações da Promotoria, Japonês dizia que tinha sido capturado e precisava de R$ 100 mil para pagar propina aos policiais. O suspeito teria dito que ofereceu carros e chácaras, mas que os policiais queriam dinheiro. Seis horas depois de ser capturado, Japonês foi apresentado à polícia. "Isso porque os policiais não conseguiram o dinheiro", afirmou o promotor do Gaerco. O delegado titular da 2ª Corregedoria Auxiliar do Deinter-2, Roveraldo Bataglini, informou que os policiais já eram investigados pela corregedoria. Não há data prevista para os depoimentos de Souza, Freire e Santolin à Justiça. Eles foram levados para o Presídio da Polícia Civil de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.