Em SP, homem mantinha mulher presa no porão

O aposentado João Batista Groppo é acusado de manter a própria mulher, uma idosa de 64 anos, presa no porão de casa há 16 anos, em Sorocaba (SP). Eles estavam casados havia mais de 40 anos, mas Groppo vivia na mesma casa com outra mulher.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

26 de janeiro de 2011 | 19h51

O homem foi preso hoje, acusado de cárcere privado e maus tratos. Sua companheira, Maria Aparecida Furquim, também foi presa como cúmplice dos crimes. A mulher foi libertada pela Polícia Civil, depois de uma denúncia anônima. Groppo alegou que mantinha a esposa presa porque ela sofria de problemas mentais.

A mulher foi encontrada sobre uma cama de concreto, praticamente sem roupas. A falta de higiene causava mau cheiro. No local, um cubículo úmido e sem ventilação, não tinha luz elétrica. O aposentado alegou que a privava da energia porque ela mantinha as luzes acesas, aumentando o valor da conta.

A delegada Jaqueline Barcelos Coutinho, da Delegacia da Mulher (DDM), disse que as condições em que a mulher vivia eram insuportáveis. "É uma situação aviltante, de cárcere privado, em que a vítima estava numa condição que nem para animal servia". A vítima foi encaminhada para o Hospital Regional de Sorocaba, onde permanecia internada. O acusado foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) e sua companheira, para a cadeia feminina de Votorantim.

Tudo o que sabemos sobre:
prisãomulherporãoviolênciaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.