Em SP, vigilância será rígida com comida na praia

Porção de fritas, queijo coalho, lanches naturais, espetinho de camarão, acarajé e tapioca estão na mira de agentes da Vigilância Sanitária de Guarujá, na Baixada Santista. No fim de semana, equipes começaram a percorrer as praias da cidade para fiscalizar quiosques, carrinhos, ambulantes e orientar os turistas. A ação vai se estender até o carnaval.

AE, Agencia Estado

22 Dezembro 2009 | 09h57

Segundo Carlos Leda, chefe da Divisão da Vigilância Sanitária do município, a intenção é combater o comércio irregular à beira-mar. "Nossos agentes vão visitar os carrinhos, observar a manipulação dos produtos e também a higiene dos funcionários que servem a comida", explicou. Ele citou que um funcionário que lida com comida, por exemplo, não pode mexer com dinheiro.

A fiscalização também terá como foco carnes e frangos vendidos com o prazo de validade vencido. "Encontrar comida estragada fará parte da fiscalização, assim como saber qual é a procedência do gelo usado nas bebidas", comenta Leda.

Cada equipe será formada por cinco fiscais. Caso seja detectada irregularidade, os quiosques e carrinhos poderão ser multados e até interditados por tempo indeterminado. O valor da multa não foi informado pela prefeitura de Guarujá. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
litoralpraiacomidavigilância

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.