Em vídeo, atirador de Realengo planeja ação pelos 'bons'

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou hoje um vídeo em que o atirador da escola de Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, aparece lendo uma carta. No vídeo de 58 segundos, Wellington Menezes de Oliveira olha sério e fixamente para a câmera que ele mesmo colocou para gravar sentado em um sofá.

CAROLINA SPILLARI, Agência Estado

13 de abril de 2011 | 18h47

A última exibição do vídeo ocorreu em julho de 2010. Portanto, as imagens foram feitas antes dessa data, o que demonstra que o ex-aluno da Escola Municipal Tasso da Silveira já tinha planos de executar o crime há mais de um ano. As imagens foram recuperadas do computador do atirador pela polícia.

No vídeo, Wellington diz que "a maioria das pessoas que me desrespeitam pensam que eu sou um idiota, se aproveitam da minha bondade, me julgam antecipadamente. São falsas testerais (sic). Descobrirão que eu sou da maneira mais radical. Uma ação que farei por meus semelhantes que são humilhados, agredidos, desrespeitados em vários locais principalmente em escolas e colégios pelo fato de serem diferentes, de não fazerem parte grupo dos infieis, dos vesperais (sic), dos falsos, dos corruptos, dos maus. São humilhados por serem bons".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.