Embarque de soja do Brasil recua em março ante 2012

Os embarques de soja nos portos brasileiros recuaram 16,5 por cento em março na comparação com um ano atrás, atrapalhadas por gargalos logísticos, mostraram dados divulgados nesta segunda-feira pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Reuters

01 de abril de 2013 | 18h45

As exportações da oleaginosa somara 3,536 milhões de toneladas em março, contra 959 mil toneladas embarcadas em fevereiro e ante 4,23 milhões de toneladas do mês de março do ano passado.

O volume de março indica a entrada do chamado período de pico das exportações, que geralmente acontece no segundo trimestre. Os embarques do mês passado foram os maiores desde junho de 2012, mês em que foram registradas 4,841 milhões de toneladas.

Os embarques caíram na comparação anual apesar do avanço da colheita de soja nas principais regiões produtores do Brasil e de uma safra recorde prevista para esta temporada, acima de 80 milhões de toneladas.

A colheita já foi realizada em 73,2 por cento da área plantada, um índice muito semelhante ao mesmo estágio na safra anterior, segundo levantamento da consultoria Clarivi divulgados nesta segunda-feira. No entanto, a área plantada no país cresceu significativamente este ano, o que leva à chegada de um maior volume de grãos aos portos.

Apesar da grande demanda por embarques, o volume caiu em março, com dificuldades operacionais nos principais terminais brasileiros, causadas inclusive por chuvas que impedem a abertura dos porões das embarcações para o carregamento. Além disso, o Brasil começou a temporada de colheita com estoques baixos.

Há filas de navios em Santos e em Paranaguá, principais portos de escoamento, e menor disponibilidade de caminhões, em função de uma nova lei que prevê um maior período de descanso para os motoristas.

(Por Gustavo Bonato)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJASECEXATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.