Emir do Kuwait aceita renúncia do gabinete

O emir do Kuwait aceitou a demissão do governo em uma manobra para solucionar um impasse com o parlamento, disse a agência estatal Kuna neste domingo. O anúncio se seguiu a comentários do porta-voz do parlamento no início deste mês de que o emir, o xeque Sabah al-Ahmad al-Sabah, que tem a última palavra na política, havia aceitado a demissão. No mês passado, o gabinete apresentou sua demissão por conta de um pedido de três parlamentares sunitas islâmicos para questionar o primeiro-ministro sobre a visita polêmica de um clérigo xiita iraniano. "A demissão do primeiro-ministro, o xeque Nasser al-Mohammad al-Sabah, e os ministros foi aceita e eles continuarão a tratar de assuntos urgentes até a formação de um novo gabinete", disse a Kuna, mencionando um decreto do emir. A agência não informou neste domingo quem será o novo primeiro-ministro, mas o porta-voz disse que o emir havia indicado novamente seu sobrinho, o xeque Nasser, para o cargo. O novo gabinete será o quarto no país membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) desde março de 2007. Os anteriores se demitiram ou foram reformulados pelo emir para encerrar um conflito prolongado com os parlamentares. O emir dissolveu o parlamento em março para pôr fim a um impasse semelhante. (Reportagem de Rania El Gamal)

REUTERS

14 Dezembro 2008 | 11h38

Mais conteúdo sobre:
KUWAIT RENUNCIA GABINETE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.