Emprego na indústria paulista encerra 2008 no vermelho

A indústria paulista continuou demitindo em dezembro e o humor do empresário manteve-se deteriorado em janeiro, indicando que a crise global continua impactando o setor em 2009, segundo pesquisas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), divulgadas nesta segunda-feira. Em dezembro foram perdidos 130 mil empregos na indústria, o que representa um declínio de 2,72 por cento ante novembro com ajuste sazonal. Na comparação mensal, sem ajuste sazonal, houve queda de 5,64 por cento. Em 2008 como um todo, o emprego na indústria de São Paulo teve queda de 0,27 por cento, o equivalente ao fechamento de 7 mil postos de trabalho. No ano anterior, o emprego havia aumentado 5,11 por cento. A Fiesp informou também que seu indicador Sensor --um índice antecedente que mede o sentimento do industrial sobre a atividade do setor-- subiu para 43,5 pontos na primeira quinzena de janeiro, ante 35,1 pontos no fechamento de dezembro. Apesar da melhora, o índice segue abaixo da linha de 50 pontos, que divide a contração do crescimento. A Fiesp costuma divulgar o Sensor quando informa os dados da atividade industrial, mas a partir de agora, passou a fazer uma coleta quinzenal, para medir com maior rapidez os efeitos da crise mundial. SETORES Entre os setores, o destaque de demissões em dezembro foi Máquinas de escritório e equipamentos de informática, com recuo do emprego de 29,5 por cento ante novembro, seguido por Coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares e álcool, com queda de 24,9 por cento. (Reportagem de Vanessa Stelzer; Edição de Alexandre Caverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.