Empresa de games é processada por permitir cópias na China

Uma filial da Shanda Online Interactive, a maior empresa de videogames da China, está sendo processada por permitir o uso de cópias piratas de seis jogos populares, informou nesta segunda-feira, 5, o jornal Shanghai Daily. A denúncia foi apresentada pela China Aomei Network, que em 2005 comprou os direitos para comercializar na China os títulos Counter Strike, Warcraft III, Warcraft III: Frozen Throne, Starcraft, Diablo 2 e Diablo 2: Lorde of Destruction, que foram pirateados. A Aomei reivindica uma desculpa pública, uma indenização de R$ 41,2 milhões e que a Shanda Online Interactive elimine os jogos e todo o conteúdo relacionado a eles de sua página de internet. Segundo a acusação, a Xangai Holdfast Online utilizava resquícios desprotegidos na programação destes jogos que permitiam a utilização de seu portal para jogar online, o que ajudou a empresa a conseguir mais de 62 milhões de usuários. Por sua parte, a Holdfast argumenta que só oferece uma plataforma para os jogadores e afirma que não tem nada a ver com qualquer tipo de cópia pirata dos programas.

Agencia Estado,

05 Fevereiro 2007 | 12h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.