Empresa é multada por vender palmito clandestino

Uma empresa foi multada em R$ 600 mil na quinta-feira (11) por vender palmito clandestino, em Salto de Pirapora, região de Sorocaba (SP). Mais de mil quilos de palmito processado e embalado foram apreendidos pela Polícia Ambiental. A empresa tinha autorização para comercializar palmitos das palmeiras pupunha e açaí, provenientes de cultivos autorizados, no Vale do Ribeira, mas as embalagens continham palmito da palmeira juçara, espécie nativa da Mata Atlântica, cuja extração na natureza é proibida.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

12 de abril de 2013 | 18h25

Além de 660 potes com até 1,8 kg de palmito, foram apreendidos rótulos e tampas de embalagens suspeitas de falsificação. As informações contidas nos rótulos davam conta de que o palmito havia sido produzido em Santa Catarina. Os policiais acreditam que a empresa recebia o produto retirado das matas, inclusive do interior de parques estaduais, por quadrilhas de ''palmiteiros''. Uma carga de palmito clandestino apreendida em Juquiá tinha como destino a fábrica de Salto de Pirapora. Em fevereiro deste ano, a polícia já havia apreendido 5,7 toneladas de palmito industrializado numa fábrica clandestina nesse município. Salto de Pirapora fica na divisa do Parque Estadual Carlos Botelho, reserva de Mata Atlântica.

Tudo o que sabemos sobre:
palmitomultaempresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.