Empresa espera fim do julgamento para se pronunciar

Procurada pela reportagem, a Eli Lilly informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não ia se pronunciar sobre a denúncia de contaminação da planta industrial de Cosmópolis. "A Eli Lilly do Brasil informa que vem prestando todos os esclarecimentos aos órgãos competentes, mas, como trata-se de processo ainda em julgamento, não se pronunciará", afirma a nota divulgada pela companhia.

O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2012 | 02h05

A Eli Lilly é uma das gigantes do setor químico. A empresa é responsável, entre outros, pela fabricação do Prozac, do Merthiolate e do Keflex.

A empresa se manifestou sobre o terreno de Cosmópolis em 2005, dois anos após ter vendido a fábrica para a ABL. Em autodenúncia feita à Companhia de Tecnologia em Saneamento Ambiental (Cetesb), ela afirmou que o solo e o lençol freático da fábrica foram contaminados.

As análises mostram que foram enterrados irregularmente no terreno da empresa 3 mil metros cúbicos de lixo tóxico.

A multinacional, no entanto, nunca admitiu ter provocado danos à saúde dos mais de 500 funcionários que trabalharam na unidade. / R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.