Empresa implementa projeto em tempo recorde

A procura repentina por tratores de menor potência, entre 30 cv e 75 cv, mais usados na agricultura familiar, levou a Valtra, empresa do grupo Agco com fábrica em Mogi das Cruzes (SP) a desenvolver, em prazo recorde, uma nova linha de produtos para atender à demanda.

, O Estadao de S.Paulo

25 de janeiro de 2010 | 00h00

Tradicionalmente focada na produção de equipamentos de grande porte voltados principalmente para o setor de cana-de-açúcar, a fabricante tinha poucos produtos na linha de pequenos, além de menos competitivos em relação aos concorrentes.

"Criamos uma equipe com os melhores profissionais de cada área, da engenharia e manufatura à vendas e serviços para dedicação total ao projeto, e em quatro meses lançamos a Série A, com três modelos de tratores pequenos", conta Jak Torretta, diretor de marketing da Valtra.

Os novos modelos chegaram ao mercado em julho, a preços inferiores aos anteriores e acabaram respondendo por 70% das vendas da companhia no ano passado, participação que ficou em 45% um ano antes. A experiência deu tão certo que está sendo adotada por outras fábricas do grupo fora do País, informa Torretta.

As vendas dos tratores pequenos aumentaram 25% na Valtra, mas não foi suficiente para uma recuperação geral. Somando todos os segmentos, as vendas da empresa caíram 12,9%, para 9,6 mil unidades em 2009.

No setor de máquinas agrícolas como um todo, os pequenos veículos responderam por mais de 47,4% dos 45.437 tratores vendidos no ano passado, número 4,7% superior ao de 2008, informa Gilberto Zago, vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Segundo Zago, os negócios nessa faixa de produtos (com preços aproximados de R$ 30 mil a R$ 75 mil) foram beneficiados pelos programas Mais Alimentos, do governo federal, Pró-Trator, do governo de São Paulo, e Trator Solidário, do governo do Paraná, que oferecem linhas de crédito especiais para essa categoria de máquina agrícola. "Historicamente, a participação desses produtos era de 30% a 35% das vendas", lembra.

Na Trator Agro, autorizada da John Deere em Mogi das Cruzes (SP), 90% dos negócios em 2009 foram de tratores pequenos. "Em relação a 2008, houve crescimento em torno de 10% das nossas vendas", afirma Onivaldo Redondo, diretor comercial da loja, que vende cerca de 80 tratores ao ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.